TeleHistória
 
O que você procura?
  
HOME TWITTER ORKUT YOU TUBE R7
TV de A a Z »
0-9 | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | L | K | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

TH NEWS  »  TELE LIVROS  
  EQUIPE TELE HISTÓRIA

Descrição
Publicada periodicamente

Sobre o autor
Tudo sobre os livros que abordam a televisão

  INICIAL DE COLUNAS | NOTÍCIAS | COLUNAS | PODCASTS | VÍDEOS | ESPECIAIS

EM DESTAQUE Visite o portal Bebidas e Afins, o mais novo integrante da família Tele História
 
 
Quinta-feira | 15 de abril de 2010 | 01:30
 
 
 
Tele Livros: A televisão na era digital - Interatividade, convergência e novos modelos de negócio

 
 
Enviar Imprimir Adicionar aos favoritos Tornar sua inicial Comentar
 
 
 


O reality show é o mais digital dos gêneros televisivos. A décima edição do Big Brother Brasil, que se encerrou no dia 30 de março, é a prova disso. Meio jogo, meio documentário e meio dramaturgia, o reality show padrão implodiu as fronteiras entre os diversos gêneros televisivos. Uma implosão que é característica do mundo contemporâneo e dialoga com a cultura digital. Além disso, o reality já nasceu como gênero multiplataforma, catalisando ações em internet, celular e outros meios. Por fim, na opinião de Newton Cannito, roteirista e diretor de televisão e autor do livro A televisão na era digital, o Big Brother é um exemplo de programa que "colou". "E 'colou' por ter abordado os mesmos temas da novela brasileira, mas criando uma forma inovadora de representar a sociedade, uma forma muito adequada à experiência contemporânea e à cultura digital", afirma.

No livro A televisão na era digital - Interatividade, convergência e novos modelos de negócio (264 p., R$ 63,90), lançamento da Summus Editorial, Cannito analisa o programa como um dos formatos de sucesso nesse período que não é apenas tecnológico, mas sobretudo social. "O pensamento na era digital é convergente e multiplataforma, ao contrário do analógico, que é divergente. Pensando em comportamento, pode-se arriscar que isso gera uma nova consciência, e no caso do BBB, uma nova consciência da ideia de jogo", afirma Cannito.

Nas primeiras edições do programa havia uma negação do jogo: os participantes se dividiam entre sinceros e falsos. "Todos, no entanto, abriram mão do que eram para assumir uma nova personalidade e tentar vencer. Isso foi mudando nas edições posteriores e culminou com a décima edição. A vitória de Dourado mostrou que o jogo foi plenamente aceito pelo público, que gosta da ideia do jogador, que faz o programa acontecer, cria os dramas e polêmicas e torna a proposta narrativa mais interessante", explica.

Quanto ao formato, a atual edição do BBB dialogou também com gêneros narrativos como a novela mexicana. Cannito cita no livro que em entrevista ao portal G1, Boninho, um dos produtores do formato no Brasil, revelou que embora interfira em um reality show, a edição do programa "tem elementos de humor e brinca com o tom dramatúrgico brasileiro". A aceitação pelo público de histórias montadas e dubladas revela maior compreensão de que o audiovisual é uma linguagem que enriquece o conteúdo quando utilizada dessa forma.

Além disso, Cannito aponta como uma das chaves de sucesso do programa a tentativa do público em desvendar se está assistindo a um reality ou a um show (contrariedade determinada já pelo nome do programa). "O BBB 10 também arriscou mais nesse sentido, quando o gay Serginho e Fernanda aproximaram-se um do outro. No twitter, muitos usuários fizeram comentários sobre a dúvida de se aquilo era possível ou não, aceitando bem esse 'mistério'", diz.

Outra característica digital do Big Brother é seu modelo de negócio. Mesmo com uma queda de audiência apontada pelo Ibope, o programa tem faturado cada vez mais em merchandisings, interatividade e outras fontes de receita. Isso prova que no mundo digital é necessário pensar novos modelos de negócio, que vão além da audiência do Ibope.

Livro

No livro A televisão na era digital, Cannito vai na contramão dos que acreditam que a televisão vai virar internet e mostra como o digital potencializa a expressão televisiva. O autor fala sobre os desafios da televisão na era digital e apresenta propostas inovadoras para o desenvolvimento da TV nessa nova cultura.

Pioneira na abordagem do tema, a obra é referência para outros estudos sobre a TV digital no Brasil. Traz informações sobre o conteúdo dos programas e mostra como fazer televisão nesse novo momento. Já na introdução, o autor desconstrói vários mitos, entre eles: o de que a televisão vai desaparecer devido à internet; o de que a narrativa está com os dias contados; o de que o espectador do futuro será totalmente interativo; o de que a TV vai ser personalizada; e o de que todos vão querer ser realizadores de televisão. "Esses mitos surgiram nos últimos anos e vêm confundindo empresas e profissionais", afirma o autor.

Muito além de uma obra técnica, o livro é imprescindível para quem quer entender a cultura contemporânea e fazer televisão nesse novo contexto. A intenção do autor não é encontrar respostas definitivas para as inúmeras possibilidades que poderão delinear a televisão na era da convergência. "Não podemos errar na estratégia", afirma Cannito. Para ele, não dá mais para pensar na TV de forma segmentada. O objetivo, revela, é discutir qual programa poderá despertar o interesse do espectador, conquistar a audiência e se propagar socialmente.
 

NOTÍCIAS RELACIONADAS
 
 
Rápidas - Final do "BBB 10″ bate recorde, mas audiência fica na mes
 
R7 - BBB 10 tem a pior audiência entre todas as suas edições
 
Rápidas - Dourado vence o "BBB 10"
 
R7 - Acompanhe a trajetória de Marcelo Dourado até a grande final
 
"BBB 10": Carlos, Dourado e Fernanda são os finalistas
 
 
 
 
LINKS PATROCINADOS
 
 
 
ComentarLer os comentários
 
 
COMENTÁRIOS
 
 
 
 
NOME
E-MAIL
CIDADE
ESTADO
COMENTÁRIO
DIGITE O CÓDIGO DE SEGURANÇA: CÓDIGO DE SEGURANÇA: 1414

 
 
NOSSOS PARCEIROS
 
 


PUBLICIDADE

 
Tele Livros: A Era do Radioteatro
Tele Livros: Globo e Zahar lançam Guia Ilustrado TV Globo/novelas e minisséries
Tele Livros: Em livro, o Paulo Francis polemista profissional
Tele Livros: Marcelo Barreto lança livro rodeado de colegas do mundo esportivo
Tele Livros: André Bernardo lança livro e media bate-papo com novelista Aguinaldo Silva
     » Todos os textos da seção
 
 
 
 
Rodrigo Pagliani é o novo apresentador do "Balanço Geral SP" manhã
SET anuncia acordo tecnológico com associação de TVs universitárias
Dissertação de mestrado: curso Memória Televisiva e a História da Telenovela Brasileira
Memória televisiva e o Canal Viva são tema de dissertação de Mestrado em Comunicação aprovada na Metodista
WeShape explora poder da música na campanha da novela Água Viva
Balanço Geral de Ribeirão Preto bate recorde no interior paulista
Balanço Geral, ao vivo, direto da esplanada do Theatro Pedro II
"Balanço Geral", ao vivo, direto da esplanada do Theatro Pedro II
Os incêndios se sucediam e a memória da nossa TV se perdia em cada um deles
Pedro & Bianca ganha o Prêmio Prix Jeunesse Iberoamericano
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Insensato Coração
 
Ti-ti-ti
 
Araguaia
 
Ribeirão do Tempo
 
O Clone
 
Vale Tudo
 
Morde & Assopra
 
Cordel Encantado
 
 
 


TeleHistória © Tele História - 2010 | Desenvolvimento: swTH Scuzinet Comunicação & Web

CANAIS
EMISSORAS
ESPORTIVOS
HUMORÍSTICOS
INFANTIS
JORNALÍSTICOS
NOVELAS
PROGRAMAS
PESSOAS
ARTISTAS
AUTORES
JORNALISTAS
PERSONALIDADES
NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
COLUNAS
PODCASTS
VÍDEOS
ESPECIAIS
SEÇÕES
CONTROLE REMOTO
LISTAS DO TH
   
           
Caso alguma foto inserida neste site seja protegida por direitos autorais ou esteja sem o devido crédito, favor entrar em contato
Quem Somos | Nossa equipe | Anuncie no TH | Acessibilidade | Comunicar erros | Contato | Perguntas frequentes | Política de privacidade

O carregamento se completou em 1,12 segundos